Com adesão da oposição, candidatura de Temer ganha mais força

BRASÍLIA (Reuters) - A candidatura do deputado Michel Temer (PMDB-SP) à presidência da Câmara recebeu na quarta-feira a adesão dos partidos de oposição, ganhando ainda mais força para a eleição de fevereiro. PSDB, DEM e PPS anunciaram apoio a Temer, que já contava com os votos da bancada do PT e outros seis partidos.

Reuters |

"A minha candidatura está presumivelmente muito forte", afirmou Temer a jornalistas depois de reunião com os parlamentares da oposição. "Eu não entro no clima de já ganhou."

Os partidos oposicionistas cobraram de Temer, no entanto, mais espaço à minoria nas relatorias de projetos e nos meios de comunicação da Casa. Os líderes desses partidos também disseram que o peemedebista tem as credenciais necessárias para assegurar a independência da Casa.

"Para a valorização da Câmara, a eleição de Temer é fundamental", discursou o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), no encontro dos partidos com Temer.

Para o líder do DEM, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), o peemedebista está acima dos interesses do governo e da oposição. "A candidatura de Temer é a candidatura da instituição."

Durante a reunião, à qual a imprensa teve acesso, o candidato prometeu atender as demandas. Disse que tentará restringir a edição de medidas provisórias pelo Executivo e fazer com que o Orçamento se torne impositivo.

"Creio que terei condições de dialogar muito com o Executivo para que algumas medidas venham em regime de urgência ou urgência urgentíssima", declarou aos colegas em discurso.

Em outra sala, outros deputados tentavam reforçar a oposição a Temer. O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) lançou sua candidatura ao lado de outros dois parlamentares que também anunciaram que disputarão o cargo, Ciro Nogueira (PP-PI) e Milton Monti (PR-SP).

"A outra candidatura nasce das cúpulas partidárias e não corresponde aos anseios da Casa, enquanto as nossas nascem dos deputados", afirmou Rebelo.

Nogueira disse apostar em um eventual segundo turno para vencer Temer. "Aqueles que temiam debate, agora vão ter que enfrentar", disse o deputado do PR.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG