Com 129 vítimas no Brasil, gripe volta a adiar aulas no RJ

SÃO PAULO (Reuters) - A gripe H1N1 esticou mais uma vez as férias escolares no Rio de Janeiro, e agora vai obrigar milhares de torcedores a usar máscaras em um estádio no Paraná. Em todo o país, a doença já matou pelo menos 129 pessoas, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde. A decisão de adiar novamente as aulas na rede estadual do Rio foi anunciada em entrevista coletiva pelos secretários de Educação, de Saúde e Defesa Civil e de Ciência e Tecnologia. As aulas, que começariam em 10 de agosto, devem voltar no dia 17.

Reuters |

"Daqui a uma semana vamos nos reunir de novo... O prazo dá tempo para os pais se organizarem nos cuidados com os filhos", disse o secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, de acordo com nota publicada na Internet.

Outros Estados e prefeituras, como em São Paulo e no Rio Grande do Sul, também já adiaram o retorno das aulas.

As mortes, no entanto, permanecem concentradas em grupos de risco, principalmente grávidas e portadores de doenças cardíacas e neurológicas, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde.

De acordo com os números do governo federal, o Brasil registrou 844 casos graves entre 25 de abril e 1o de agosto. Foram notificados 17.277 casos de algum tipo de gripe, dos quais 2.959 foram confirmados como a nova variedade da doença, também conhecida como "gripe suína".

Considerando os dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde, São Paulo lidera o número de mortes, com 50 óbitos. Rio Grande do Sul e Paraná tiveram 29 e 25 falecimentos atribuídos à gripe H1N1, respectivamente, e o Rio de Janeiro já contabilizou 19 mortes.

Santa Catarina (3), Pernambuco (1), Bahia (1) e Paraíba (1) são os outros Estados com vítimas da nova gripe.

Secretarias municipais em São Paulo, no entanto, já confirmaram outras mortes que ainda não constam desse balanço. Em Campinas, uma mulher de 30 anos foi a sétima vítima na cidade. Em Bragança Paulista, um homem de 36 anos morreu na terça-feira, e em Guaratinguetá houve a morte de uma criança de sete anos pela gripe H1N1.

Dados do Ministério da Saúde ainda contabilizam 96 mortes confirmadas pela nova gripe no país até o dia 1o de agosto.

Estados Unidos, Argentina e México são os países mais afetados até agora pela doença, que foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) uma pandemia global.

MASCARADOS

A propagação no vírus H1N1 trouxe consequências até para o Campeonato Brasileiro de futebol. Na partida entre Coritiba e Santos na noite desta quarta-feira, todos os torcedores devem comparecer ao Estádio Olímpico de Cascavel com máscaras que devem ser distribuídas na entrada do estádio, de acordo com a página do clube paranaense na Internet.

Segundo uma funcionária da 1a Vara Civil de Cascavel, a juíza Giani Maria Moreschi determinou que "todos os torcedores estão obrigados a receber a máscara, ou então os organizadores da partida receberão uma multa de 300 mil reais".

(Reportagem de Adriane Piscitelli, Silvio Cascione e Pedro Fonseca)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG