BRASÍLIA ¿ A pouco mais de um ano das eleições presidencias de 2010, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu lançar mais uma ferramenta de comunicação com os eleitores. Trata-se de uma coluna semanal que será publicada sempre as terças-feiras, a partir do dia 7 de julho.

A iniciativa tem causado polêmica entre os partidos de oposição e alguns setores da sociedade civil por ser considerado eleitoreiro, já que no próximo ano será escolhido o novo presidente.

No entanto, a assessoria da Presidência da República garante que o projeto está em estudo desde setembro do ano passado, mas só agora pôde ser concretizado. Fontes do Palácio afirmam que não se trata de uma estrutura de comunicação apenas para o governo, mas também para o Estado. Qualquer governo vai precisar de uma estrutura como esta. Ter uma estrutura adequada nos ajuda a atender a demanda internacional, nacional e regional, destacou um assessor do presidente.

Mais perto da população

Mas para o cientista político da Universidade de Brasília (UnB), Leonardo Barreto, o lançamento da coluna, há um ano e meio do fim do mandato do presidente Lula, é uma forma de estreitar ainda mais um canal de comunicação com a população.

Segundo Barreto, a medida vai aumentar o apelo do presidente nas camadas populares. Isso vai ajudar a ministra Dilma de uma forma indireta, porque o presidente vai ser o principal cabo eleitoral da ministra em 2010. Então, na medida em que o presidente tiver uma popularidade maior, mais chance tem de transferir votos para ministra, destacou. 

A oposição precisa fiscalizar a utilização da coluna e ao primeiro sinal de que aconteça campanha eleitoreira, eles devem protestar e acionar a justiça eleitoral e os órgãos competentes, completou o cientista.

Oposição atenta

Ao que tudo indica, setores opositores ao governo prometem ficar de olhos grudados em tudo o que o presidente falar. Para o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), a ideia de lançar uma coluna, neste momento, é tardia. Ele diz que é cedo para avaliar a finalidade do novo meio de comunicação da presidência. Depende da forma como o presidente irá utilizar a coluna. Se for para prestar contas do governo, será positivo; agora, se tiver objetivo eleitoreiro, será condenável. E se isso acontecer é uso indevido da máquina pública, acrescentou o parlamentar.

O líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO), tem o mesmo pensamento do colega. Porém, para ele, a ideia de se montar uma nova estratégia de comunicação vai intensificar ainda mais esta parte midiática do governo e reforçar a candidatura da ministra Dilma.

Há mais de seis meses o presidente vem antecipando a campanha da Dilma. O PAC é uma antecipação clara e descarada de campanaha. Vamos continuar denunciando todo e qualquer fato. Vamos acompanhar de perto como as coisas vão acontecer. Estaremos atentos pra isso, enfatizou o democrata. 

A coluna

A coluna O Presidente Responde será lançada no dia 7 de julho e terá o formato de perguntas e respostas. De acordo com a assessoria de comunicação da Presidência, a coluna será publicada nos jornais impressos que forem cadastrados no Palácio do Planalto.

Os leitores deverão enviar as perguntas para os jornais com nome completo, idade, profissão e cidade onde residem. Por sua vez, os jornais encaminharão as perguntas à Presidência da República, que irá selecionar três, a cada semana.

Segundo o Planalto, as perguntas devem tratar de temas relacionadas às políticas públicas e de relevância e interesse jornalísticos. As respostas do presidente serão distribuídas às segundas-feiras.

Leia mais sobre Lula

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.