Colômbia adere ao Conselho de Defesa Sul-americano

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu trazer uma vitória da viagem à Colômbia. Na conferência de imprensa na residência de campo presidencial de Hato Grande, o presidente colombiano Álvaro Uribe confirmou a adesão de seu país ao Conselho de Defesa Sul-americano, idéia criada pelo Brasil e que enfrentava resistências da Colômbia.

Agência Estado |

Uribe anunciou que, depois de conversar com Lula e de os dois, por telefone, conversarem com a presidente chilena Michele Bachelet, decidiu que seu País faria parte do conselho, já que suas condições foram aceitas.

"A primeira coisa que nos informaram é que as decisões serão tomadas por consenso. Em segundo lugar, deve-se reconhecer que somente as forças institucionais consagradas nas constituições dos Países. E, em terceiro lugar, na declaração de princípios do estatuto do Conselho deve haver um rechaço total a grupos violentos, qualquer que seja sua origem", disse Uribe.

O presidente colombiano foi o principal responsável pelo fiasco na última reunião da União de Nações Sul-Americanas, em Brasília, no final de maio. Depois do governo brasileiro ter vendido a idéia a todos os países da região, Uribe se recusou a aceitar o conselho porque exigia, em primeiro lugar, o rechaço às Farc - até então, apoiadas pelo presidente venezuelano Hugo Chávez e do Equador, Rafael Corrêa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG