BRASÍLIA - O senador Fernando Collor (PTB-AL) venceu a eleição para presidente da Comissão de Infraestrutura (CI) por 13 votos contra 10 da senadora Ideli Salvatti (PT-SC). A CI é uma das comissões mais importantes do parlamento, pois analisa projetos, como os do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), por exemplo.

Pelo princípio da proporcionalidade, previsto no regimento interno do Senado, a indicação para a presidência do colegiado era de direito do PT. Porém, o PTB reivindicou a vaga para o ex-presidente Fernando Collor e, por falta de consenso, a disputa foi para o voto.  

A vitória de Fernando Collor foi possível devido uma manobra do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) ¿ ex-presidente da Casa que renunciou ao cargo sob denúncias de quebra de decoro parlamentar. De última hora, Renan trocou os senadores peemedebistas da comissão por outros de sua confiança, que garantiram o voto em Collor.  

Agência Senado
Reunião da comissão para escolha do novo presidente

Entregar a presidência de uma comissão para o ex-presidente foi uma das promessas de campanha de José Sarney (PMDB-AP) para se eleger presidente do Senado, no início de fevereiro. Ao vencer a eleição, Collor foi questionado se a vitória seria uma "volta por cima" na carreira política dele, uma vez que foi impedido de permanecer no cargo de presidente da República, em 1992, sob denúncias de corrupção. "Não, é a volta com os pés no chão", respondeu o senador.   

Mal-estar

Pouco antes do início da votação que elegeu Fernando Collor para a presidência da Comissão de Infraestrutura, houve um mal-estar entre os parlamentares, pois Collor disse que Ideli era uma senadora que congrega, que reúne, que cisca para dentro.  

Ao usar a expressão ciscar, Aloísio Mercadante (PT-SP) saiu em defesa da correligionária e pediu explicações sobre o termo. Collor pediu desculpas, com o argumento de que, no Nordeste, esta não é uma demonstração de desrespeito.

Outras comissões

Na manhã desta quarta-feira, também foram definidas as presidências de outras comissões temáticas do Senado. Demóstenes Torres (DEM-GO) foi conduzido à presidência do colegiado mais importante do parlamento, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ); e Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) - ex-presidente do Senado - foi eleito presidente da Comissão de Assuntos Econômicos.

Eduardo Azeredo (PSDB-MG) conduzirá a Comissão de Relações Exteriores (CRE). O PSDB teve direito ainda a uma segunda indicação, e escolheu a Comissão de Ciência e Tecnologia, para o senador Flexa Ribeiro (PA). 

A Comissão de Assuntos Sociais será presidida pela senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN) e a Comissão de Educação ficou com Flávio Arns (PDT-PR). Leomar Quintanilha (PMDB-TO) irá acumular as presidências de Desenvolvimento Regional e do Conselho de Ética.

Leia também:

Leia mais sobre: Collor

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.