O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) vai tirar uma licença de 90 dias, a partir de 5 de setembro, para se dedicar à campanha dos parentes nas eleições deste ano, em Alagoas. Ele quer turbinar a campanha do filho Fernando James (PTB) e do primo Euclides Mello (PRB), seu primeiro suplente no Senado.

James disputa a prefeitura de Rio Largo, cidade vizinha a Maceió e terra natal do pai do ex-presidente, o ex-senador Arnon de Mello. Euclides é candidato a prefeito de Marechal Deodoro, primeira capital do Estado, na divisa com Maceió.

Com a licença do senador e a candidatura de Euclides Mello, Collor abre vaga para sua segunda suplente, a prima e beata Ada Mello (PTB), que entra para a história como a segunda mulher alagoana a assumir o Senado. A primeira foi a ex-senadora Heloísa Helena (PSOL), candidata a uma das 21 vagas da Câmara Municipal de Maceió. Na capital do Estado, Collor apóia a candidatura do prefeito Cícero Almeida (PP), mas ainda não se envolveu diretamente na campanha.

Por enquanto, o ex-presidente só realizou caminhadas em Rio Largo ao lado do filho e na cidade de Pilar, onde apóia a candidatura a prefeito do deputado federal Carlos Alberto Canuto (PMDB), ex-prefeito do município. Segundo seus assessores, Collor pretende se dedicar mais à campanha de James, que começou a carreira política como vereador e agora disputa pela primeira vez um cargo majoritário.

O filho de Collor concorre contra mais quatro candidatos: o atual prefeito Marcos Santos (DEM), a ex-prefeita Maria Eliza (PSC), o vereador Toninho Lins (PSB) e o professor Reginaldo (PCB). James conta com o apoio da ex-prefeita Vânia Paiva (PMDB), que foi afastada do cargo no início do ano, acusada de desvio de recursos públicos, mas continua influente no município.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.