Coletânea e DVD lembram os 10 anos sem Frank Sinatra

Quando Frank Sinatra morreu, em 14 de maio de 1998, todos os chefes de Estado na época soltaram uma nota com um pronunciamento: Clinton, Tony Blair. ¿Claro, ele tinha seu talento, seu carisma e sua voz, mas ele também tinha personalidade, calor, paixão¿, disse o presidente francês, Jacques Chirac.

Agência Estado |

Dez anos após a morte de Sinatra, é fácil ver que ele é ainda o grande intérprete da canção americana. Ninguém o superou, ninguém chega nem perto disso.

Por conta disso, e da efeméride dos 10 anos de sua morte, há uma enxurrada de produtos Sinatra a caminho, resultado de um pool formado pela recém-criada Frank Sinatra Enterprises e Warner Home Video, MGM Home Entertainment, Turner Classic Movies e o Serviço Postal dos Estados Unidos. O primeiro produto chega às lojas essa semana. Trata-se da coletânea 'Nothing but the Best', que traz uma seleção de 22 canções do velho Old Blue Eyes.

A 22ª canção é o aperitivo extra: trata-se de uma versão de Body & Soul com arranjo novo, jamais lançada antes em disco. Foi um mimo recolhido pelo chefão dessa empreitada toda, Frank Sinatra Jr. Há outras preciosidades chegando, como um DVD com sua clássica performance no Royal Festival Hall, em Londres, em 1971.

Nascido em Hoboken, New Jersey, em 12 de dezembro de 1915, Sinatra surgiu para a música na era do swing, entre os anos 30 e 40, ajudou a definir um paradigma da interpretação nos anos 40 e 50, sobreviveu à febre do rocknroll dos anos 50 e 60 e continuou no alto do pódio até o final. Ele gravou seu primeiro hit em 1940 e esse hit continua tocando horrores até hoje. As informações são do Jornal da Tarde

    Leia tudo sobre: frank sinatra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG