Coco Chanel ganhará dois filmes biográficos na França

Por Elizabeth Pineau PARIS (Reuters Life!) - Coco Chanel, a criadora do vestido pretinho básico e sinônimo de elegância parisiense, juntou-se ao rol crescente de personalidade culturais francesas a serem homenageadas na tela.

Reuters |

Audrey Tautou, estrela de "Amelie Poulain", e Anna Mouglalis, que representou a maior heroína intelectual francesa, Simone de Beauvoir, em outra cinebiografia, vão interpretar a elegante Chanel em dois filmes sobre sua vida que chegarão aos cinemas no próximo ano.

"Coco Chanel teve que lutar muito para alcançar o sucesso", disse Mouglalis a jornalistas, esta semana, sobre a celebridade cuja ascensão começou em 1912, com uma lojinha simples em Paris.

"Ela era capaz de muita mesquinharia e grande generosidade, de ser extremamente áspera e também muito doce. Ela foi uma mulher em preto e branco."

Os produtores esperam repetir o sucesso de "Piaf - Um Hino ao Amor", o filme de 2007 que deu a Marion Cotillard o papel que lhe valeu um Oscar, o da lendária cantora Edith Piaf.

Desde então vêm sendo produzidos vários filmes e telefilmes sobre personalidades francesas famosas, espelhando a tendência recente em Hollywood que já resultou em filmes sobre personalidades que incluem desde o lendário cantor Johnny Cash até o presidente George W. Bush.

Françoise Sagan, autora do best-seller "Bonjour Tristesse", de 1954, os filósofos e amantes Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre, e Albert Spaggiari, irreverente criminoso que realizou alguns dos mais espetaculares assaltos a bancos da história da França, todos já ganharam filmes dedicados a eles.

Gabrielle "Coco" Chanel, cujo legado inclui os vestidos pretinhos simples presentes em milhões de coquetéis desde que ela lançou o original, em 1926, parece um nome natural para ser somado a esse rol.

Tendo crescido órfã, ela aliou uma vontade férrea, uma língua afiada e um dom por desenhar roupa ao espírito modernista dos anos 1920 e ergueu uma das maiores maisons de moda do mundo.

"Uma mulher sem um perfume é uma mulher sem futuro", observou a mulher cujo Chanel No 5 se tornaria o perfume mais vendido no mundo.

Tanto "Coco avant Chanel", com Audrey Tautou, quanto "Coco et Stravinsky", estrelado por Anna Mouglalis, vão se concentrar no início da carreira da estilista, antes de ela se tornar o símbolo vivo da indústria da moda.

Os dois filmes estão em produção e devem chegar aos cinemas no próximo ano.

Karl Lagerfeld, o exuberante alemão que em 1983 se tornou estilista chefe da maison Chanel, deslanchou a procissão com um curta que ele próprio dirigiu e apresentou esta semana a um público seleto num pequeno cinema de Paris.

Em "Coco Chanel 1913-1923", filme mudo rodado em preto e branco, Lagerfeld mostra Chanel no início de sua longa carreira, acompanhada dos dois homens com quem ela dividia sua vida na época, "Boy" Capel e o grão-duque russo Dmitry.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG