A eventual candidata do governo para a sucessão presidencial, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), reduziu a diferença nas intenções de voto para o líder nas pesquisas, o candidato da oposição e governador do Estado de São Paulo, José Serra (PSDB), no primeiro turno, em diferentes listas. Essa é uma das conclusões da pesquisa CNT/Sensus divulgada hoje.

Em um dos cenários para o primeiro turno, no qual além de Dilma e Serra aparecem os possíveis candidatos Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV), o governador paulista lidera com 33,2% ante 27,8% da ministra. A diferença entre os dois candidatos, de 5,4 pontos porcentuais, é praticamente a metade dos 10,1 pontos de diferença que separavam Serra e Dilma na última pesquisa CNT/Sensus, realizada em novembro, quando o tucano tinha 31,8% e a petista, 21,7%.

Nessa mesma lista, Ciro perdeu intenções de voto, caindo dos 17,5% de novembro para 11,9% no mês passado. Marina teve um ligeiro aumento, de 5,9% para 6,8%, no mesmo período.

A CNT/Sensus fez ainda outro cenário para primeiro turno. Dessa vez, sem Ciro Gomes. Nesse caso, Serra permaneceu praticamente estável com 40,7%, ante 40,5% em novembro. Já Dilma subiu, passando de 23,5% para 28,5%, no mesmo período. Marina Silva teve uma oscilação de 8,1% para
9,5%.

'Consolidação'

Para o técnico da Sensus, Ricardo Guedes, os dados da pesquisa mostram que Dilma "parece começar a extrapolar o limite de transferência de votos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva". Ele explicou que o potencial de transferência do presidente é de aproximadamente 20%, mas Dilma já está superando esse patamar. "Ela caminha para a consolidação de sua candidatura." A pesquisa CNT/Sensus foi feita com 2 mil eleitores entre os dias 25 e 29 de janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.