CNBB desautoriza iniciativa de bispo sobre excomunhão

Ainda que tenha tentado preservar o arcebispo d. José Cardoso Sobrinho, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) desautorizou a iniciativa do arcebispo de Recife e Olinda de anunciar a excomunhão da mãe da menina de 9 anos submetida a um aborto na semana passada e da equipe médica que participou da interrupção da gravidez. A menina, estuprada pelo padrasto, estava grávida de gêmeos.

Agência Estado |

O secretário-geral da CNBB, d. Dimas Lara Barbosa, disse que a mãe da menina não está excomungada, pois agiu sob pressão e com o objetivo de salvar a vida da filha. Não temos elementos para dizer qual médico está excomungado e qual não está. Depende do grau de consciência de cada um, disse ainda d. Dimas.

Segundo o secretário-geral, estão excomungados somente os profissionais conscientes e contumazes na prática do aborto.

Durante entrevista coletiva, foi distribuído um documento sobre excomunhão, assinado pelo assessor canônico da CNBB, padre Enrique Pérez Pujol, que destaca o fato de que a punição não deve ser aplicada em meio a uma polêmica.

A afirmação de d. José Cardoso Sobrinho sobre a excomunhão da mãe e dos profissionais envolvidos no aborto foi feita um dia depois da interrupção da gravidez.

Leia também:

Opinião

  • Régis Bonvicino: arcebispo comete crime contra família de menina
  • Alberto Dines: o arcebispo e o pecado da arrogância e da soberba
  • Blog do Sakamoto: Arcebispo ataca aborto, excomunga e faz vergonha
  • Balaio do Kotscho: Posso excomungar este bispo da minha igreja?
  • Balaio do Kotscho: O bispo e a menina, a Igreja no limbo
  • Leia mais sobre CNBB

      Leia tudo sobre: cnbb

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG