O endereço eletrônico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), www.cna.

org.br, continuará fora do ar até que os peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Distrito Federal concluam a perícia que está sendo feita nos computadores da confederação. As informações são da assessoria de imprensa da CNA. Não há prazo para conclusão dos trabalhos, que começaram a ser feitos ontem, depois que a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) protocolou, na sexta-feira, uma representação em uma delegacia de Brasília argumentando que seu correio eletrônico privativo havia sido violado.

Em conversas informais, ela acusa grupos ligados ao atual presidente da CNA, Fábio Meirelles, candidato à reeleição, pela violação. Ela também vai se candidatar à eleição, que acontece no final do ano. Por outro lado, há suspeitas, noticiadas pela revista Veja, de que a campanha de Kátia Abreu ao Senado tenha sido bancada ilegalmente pela CNA.

Eles não se manifestaram sobre o assunto desde o final de semana, quando a suspeita foi veiculada. Hoje, os dois e seus assessores não retornaram as ligações. Presidentes de federações optaram pelo silêncio. Ontem, depois de quase cinco horas de reunião, o conselho da CNA, que reúne os presidentes das federações, divulgou uma nota confirmando a contratação de uma empresa privada que fará auditorias nos computadores. A contratação foi aprovada por unanimidade e mostrou a força da senadora, que a defendia. Meirelles era contra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.