CNA fará reunião para discutir denúncia contra senadora

Depois da suspeita de uso irregular de recursos do caixa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para financiamento da campanha da senadora Kátia Abreu (DEM-TO), em 2006, e da reação da senadora, que procurou a Polícia Civil de Brasília na última sexta-feira e protocolou uma representação alegando que a caixa postal de seu correio eletrônico havia sido violada, presidentes das 27 federações estaduais de agricultura se reúnem para decidir sobre a contratação de uma empresa de auditoria para inspecionar o sistema informatizado da CNA. Eles também pretendem ouvir as explicações da senadora.

Agência Estado |

A reunião será hoje, às 14 horas, em Brasília.

A convocação da reunião extraordinária foi decidida na sexta-feira, quando, segundo o presidente de uma importante federação de agricultura, "o escândalo já estava na rua, apesar das inúmeras tentativas de esclarecer os fatos, sem provocar estragos para a imagem da CNA". Em entrevista à revista Veja desta semana, o atual presidente da CNA, Fábio Meirelles, contou que foi aberta uma investigação para apurar porque a CNA pagou R$ 650 mil para a Agência Talento, responsável pela campanha de Kátia Abreu ao Senado em 2006. Ele promete uma resposta em 15 dias.

Parte do dinheiro, R$ 350 mil, teria sido usada, segundo uma nota fiscal emitida pela agência e publicada pela revista, na "produção de peças para a campanha de estímulo do voto consciente do produtor rural nas eleições 2006". O restante, R$ 300 mil, teria sido gasto na mesma campanha, mas a revista não publicou notas fiscais referentes a esse valor. A campanha nunca foi veiculada, porque, explicou a senadora à reportagem da revista, "com a morte do antigo presidente (Antônio Ernesto de Salvo), perdeu-se o clima, o interesse". Em conversas informais, a senadora acusa grupos ligados a Meirelles de violar seu e-mail em busca de documentos que prejudicassem sua campanha à presidência da CNA.

Kátia Abreu e Meirelles são os únicos candidatos declarados à presidência da CNA, eleição que será realizada no final do ano. A escolha ocorrerá num prazo de 30 a 60 dias antes do dia 9 de dezembro, quando termina o mandato de Meirelles, que pode, de acordo com o estatuto da CNA, se candidatar à reeleição. O prazo para registro das chapas é de 40 dias. Se for eleita, a senadora será a primeira mulher a ocupar a presidência da CNA em mais de 50 anos. Meirelles assumiu a presidência no ano passado, após a morte de Ernesto de Salvo, e nunca concorreu na posição de cabeça de chapa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG