Cirurgião do Estado de São Paulo é premiado nos EUA

O cirurgião paulista Joaquim Gama-Rodrigues, de 72 anos, recebeu neste mês o título de membro honorário do Colégio Americano de Cirurgiões (ACS, na sigla em inglês), criado em 1913, com a inauguração da entidade. Apenas 93 médicos no mundo têm o título, que é concedido anualmente.

Agência Estado |

Com sede em Chicago (EUA), a instituição conta com 70 mil integrantes, dos quais 4 mil não são americanos nem canadenses.

Gama-Rodrigues é o 10º brasileiro a receber o título. Antes dele, profissionais como Benedito Montenegro - antigo diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e depois reitor - e o cardiologista Euryclides Zerbini, responsável pelo primeiro transplante de coração da América Latina, em 1968, foram premiados. Atualmente, dois médicos brasileiros têm a láurea: o cardiologista Adib Jatene e a cirurgiã Angelita Habr-Gama. Os outros sete faleceram. Angelita é mulher de Gama-Rodrigues. Eles são o primeiro casal a receber o título.

A associação é a maior e mais antiga sociedade científica dedicada à cirurgia. Inspirou agremiações semelhantes em vários países - entre elas, o Colégio Brasileiro de Cirurgiões. A escolha das pessoas que recebem o título é um processo interno e a análise do nome sugerido demora de 5 a 8 anos. O julgamento é feito pelos 90 membros da diretoria. Para Gama-Rodrigues, a premiação de brasileiros é duplamente benéfica para o País. “Por um lado, os cirurgiões jovens recebem um estímulo para aprimorar cada vez mais sua formação”, diz o médico.

Entre os critérios analisados antes de conferir o título estão a conduta ética do médico, sua produção científica e o empenho na formação de outros médicos. Gama-Rodrigues, por exemplo, publicou mais de 200 artigos em revistas científicas e hoje é professor emérito de cirurgia da Faculdade de Medicina da USP. Começou a lecionar em 1963.O quarto fator analisado é o comprometimento com iniciativas para a promoção da saúde pública.

Câncer

Atualmente, Angelita e Gama-Rodrigues participam de uma pesquisa relacionada à prevenção de câncer de intestino em Santa Cruz das Palmeiras (260 km de São Paulo). Cerca de 4 mil pessoas com mais de 45 anos de idade e que não apresentavam sintoma de doença intestinal foram submetidas a um teste para detectar sangue oculto nas fezes, um possível sintoma de câncer do intestino grosso - 10% tiveram resultado positivo e foram submetidos à colonoscopia (exame mais detalhado que detectou nove casos de câncer). A idéia agora é oferecer o exame preventivo na cidade.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG