Cirurgia do vice-presidente José Alencar foi bem-sucedida, informa médico

SÃO PAULO - O vice-presidente José Alencar foi submetido nesta sexta-feira a uma colostomia, procedimento cirúrgico feito para a descompressão do intestino grosso, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com a unidade, a operação começou às 17h e durou aproximadamente 4h30.

Redação com Agência Estado |

No início da noite, o cirurgião gastroenterologista Raul Cutait explicou que o vice-presidente já vinha mostrando sinais de obstrução intestinal há pelo menos um mês e meio, mas pediu aos médicos que evitassem o procedimento da colostomia e lhe dessem a oportunidade de que o problema se resolvesse por meio de tratamento por meios alternativos.

"Infelizmente, a evolução não foi tão favorável como todos nós queríamos", afirmou. "Embora ele tivesse alguma dificuldade, este problema se mostrou agudo de ontem para hoje".

Segundo Cutait, a cirurgia foi bem-sucedida e Alencar vai continuar internado entre 5 e 7 dias para se recuperar. O paciente foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

"Não houve nenhum problema maior e todos os sinais vitais estão perfeitos. Foi como se tivesse sido uma cirurgia menor. Mais uma vez ele foi um bravo e um forte", avaliou o médico.

Após o período de recuperação, Alencar deve voltar a tomar os medicamentos que vem utilizando para conter a evolução do câncer e que fazem parte de um tratamento experimental desenvolvido em Houston, nos Estados Unidos.

Essa foi a 15ª cirurgia a que se submeteu o vice-presidente para combater o câncer, contra o qual luta há 12 anos. Alencar foi internado às 9h40 e passou por exames de imagem e laboratoriais que indicaram a necessidade de uma nova operação.

Na noite de quinta-feira, o vice-presidente havia recebido alta hospitalar, após 14 dias internado para se recuperar de uma cirurgia em que foram retirados dez tumores do abdome. Nessa cirurgia anterior, do dia 9 de julho, a obstrução estava localizada no intestino delgado.

Cutait explicou que desta vez a obstrução é no intestino grosso, próximo ao reto, região onde ainda existem alguns tumores. "É uma região que seria muito difícil abordar", afirmou. "Haveria riscos para ele".


José Alencar ao deixar o hospital na última quinta-feira/AE


Mais cedo, o oncologista Paulo Hoff havia confirmado que o tratamento experimental está contendo o c rescimento dos tumores e afirmou que o vice-presidente continuará a terapia O chefe de gabinete de Alencar, Adriano Silva, disse que a família do vice-presidente, que está no hospital, ficou satisfeita com as informações repassadas pelos médicos.


Leia mais sobre: José Alencar

    Leia tudo sobre: alencarjosé alencarvice-presidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG