O deputado federal e possível candidato pelo PSB à sucessão no Palácio do Planalto em 2010, Ciro Gomes (CE), lamentou hoje, em nota, a decisão do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, de abrir mão de representar o PSDB numa candidatura à Presidência da República nas eleições do ano que vem. Ciro havia anunciado em novembro que poderia deixar a disputa eleitoral caso Aécio se viabilizasse como presidenciável tucano.

"Todos os que, como eu, torcem pelo novo, contra o passado maléfico ao Brasil, devem lamentar", afirmou na nota. "É o que faço", acrescentou. Ciro é desafeto declarado do governador paulista José Serra, provável candidato do PSDB em 2010.

Ciro disse ainda na nota que compreende a situação de Aécio por já ter vivido situação semelhante. O parlamentar era filiado ao PSDB, legenda do qual saiu em 1996 em decorrência de desavenças partidárias. De acordo com Ciro, Aécio deve estar "sofrendo todo tipo de constrangimento". Segundo ele, é o momento de o povo mineiro "anotar tudo isso" e "reanimar seu jovem governador a voltar à luta".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.