sem safadeza - Brasil - iG" /

Ciro diz que é possível governar sem safadeza

Homenageado hoje em Maceió com o título de cidadão honorário de Alagoas, o deputado federal e pré-candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PSB/CE) defendeu a abertura de um processo contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), para apurar o esquema de pagamento a políticos em troca de apoio. Ciro lamentou que a população passe pelo constrangimento de mais um escândalo e defendeu que é possível governar o Brasil sem safadeza.

Agência Estado |

O deputado saiu em defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nesta semana disse que as imagens contra Arruda "não falam por si". "O presidente foi prudente com relação a esse episódio, afinal de contas todos têm direito a presunção da inocência", ponderou.

Desafeto

Ciro voltou a criticar o governador de São Paulo e pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra (PSDB). Ele afirmou que seria um "retrocesso" para o Brasil a eleição de Serra à Presidência da República. Quanto ao governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB, que também está na disputa interna para ser o candidato tucano à presidência, Ciro disse que poderia seria um bom nome, já que daria um ponto final à batalha travada entre PT e PSDB.

O pré-candidato fez elogios à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e disse que a considera uma excelente administradora. "Além de ser uma grande brasileira, assim como também considero a ex-ministra Marina Silva", completou.

Ciro participou, pela manhã, da abertura da Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia, em Maceió, onde foi agraciado com o título de cidadão honorário de Alagoas. O deputado reafirmou que deve ser candidato à presidência da República nas eleições do ano que vem.

O deputado afirmou que o Brasil cresceu em todos os aspectos com o governo Lula, mas que ainda há muito a ser feito, principalmente nas áreas sociais. "O País ainda está na posição 75 no que diz respeito ao Índice de Desenvolvimento Humano, além de enfrentar problemas na preparação da mão de obra e na distribuição de renda. Mas houve uma melhora em todos os índices, se comparado com o governo passado", alfinetou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG