O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), voltaram a cogitar publicamente a hipótese de união na eleição presidencial de 2010. Após um encontro com Aécio no Palácio das Mangabeiras, Ciro reiterou hoje que poderá desistir de concorrer novamente ao Palácio do Planalto caso o governador mineiro consiga se viabilizar como presidenciável tucano.

"O governador Aécio sendo candidato à Presidência da República descomprime gravemente a necessidade estratégica de eu apresentar uma candidatura. Não quer dizer que eventualmente eu tenha que ser, porque isso dirá o meu partido", afirmou o deputado. "Mas as necessidades, as minhas angústias com relação ao futuro do País, com a presença dele, supondo um enfrentamento dele com a ministra Dilma (Rousseff), minha estimada companheira, eu fico feliz, porque acho que o Brasil estará em seguras, tranquilas e boas mãos".

Sem negar a hipótese de disputar o governo de São Paulo, Ciro disse que por enquanto prefere examinar a possibilidade de ser candidato à Presidência. Ao lado de Aécio, fez críticas ao governador paulista José Serra e ao PSDB durante o escândalo do mensalão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.