Depois de ouvir a negativa do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, ao seu convite para que o mineiro componha como vice a chapa do PSDB, o governador de São Paulo, José Serra, sofreu outro constrangimento. Serra esteve hoje com o seu principal desafeto, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), durante a solenidade de inauguração da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, nova sede do governo mineiro, em Belo Horizonte.

Ciro não perdeu a oportunidade de alfinetar o virtual presidenciável tucano.

Ao chegar ao evento, sem citar o governador paulista, o deputado atacou a estratégia tucana de tentar convencer Aécio a aceitar a vaga de vice, o que, para ele, parte de "quem vê Minas longe do poder, vê o desequilíbrio do poder brasileiro, vê a hiperconcentração de poder no Brasil". "Esta extraordinária e generosa delegação que o povo de Minas Gerais dá ao governador Aécio Neves não é para que ele seja manipulado como instrumento eleitoral".

Após a inauguração, Aécio e sua comitiva de políticos seguiram para um almoço no Palácio da Liberdade. No salão de banquete, reservado para os principais convidados, Serra e Ciro sentaram-se frente a frente. Cumprimentaram-se "cordialmente, como convém a dois garotos educados", segundo o deputado. Mas durante o almoço, ambos procuraram disfarçara o mal estar com olhares perdidos.

Após os pratos serem recolhidos, Aécio pegou Serra pelo braço e circulou pelos outros salões reservados para outras autoridades convidadas. Sem cerimônia, apresentou o colega paulista como candidato do partido. Em uma rodinha de deputados estaduais, de forma descontraída, pediu que Serra cumprimentasse seus futuros eleitores. A um grupo de juristas, o mineiro dirigiu-se ao ministro Nilson Naves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e brincou com o governador de São Paulo: "Serra, como presidente, você vai ter de botar pelo menos meia dúzia de ministros mineiros".

Mais constrangimentos

No início da cerimônia em Belo Horizonte, foram ouvidos os primeiros gritos de "Aécio presidente" durante a chegada do governador de Minas ao evento. Um novo coro se formou quando o mineiro preparava-se para discursar. Meio constrangido, Aécio discretamente fez gestos pedindo que o público encerrasse a manifestação. "O momento de uma eventual candidatura minha ao posto passou. Não será desta vez", frisou o mineiro ao deixar o evento.

A solenidade de inauguração da Cidade Administrativa foi marcada pelas homenagens ao ex-presidente Tancredo Neves, e alusões ao processo de redemocratização do País, com personagens que marcaram a campanha Diretas Já.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.