Círio de Nazaré bate recorde e atrai 2,2 mi de fiéis em Belém

Papa Bento 16 envia mensagem aos romeiros do Pará e exalta devoção. Religiosos de outros países participam de procissão

AE |

selo

O Círio de Nazaré 2010 bateu todos os recordes de público dos 218 anos em que a romaria é realizada. Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), cerca de 2,2 milhões de fiéis acompanharam a procissão pelas ruas de Belém (PA) neste domingo, por um trajeto de 4,6 km. 

AE
Durante procissão, padre carrega imagem de Nossa Senhora de Nazaré

A maior manifestação católica do mundo, incluindo o próprio Círio na noite de sábado mobilizou cerca de 4,2 milhões de devotos de várias partes do Brasil e até do exterior.

As Forças Armadas e as polícias militar e civil utilizaram dez mil homens e mulheres, acrescidos de 12 mil voluntários da Cruz Vermelha, para garantir a segurança dos romeiros. O novo arcebispo de Belém, dom Alberto Taveira, ficou impressionado com a devoção dos paraenses ao ver tanta gente nas ruas. "É uma demonstração de fé única, que não pode ser descrita, mas vivida", disse ele.

O papa Bento 16 enviou mensagem ao povo paraense, que foi lida por dom Taveira antes do começo da romaria, durante missa na Catedral da Sé. "A devoção mariana contribui para a manifestação de fé, a união do povo católico e reestrutura a igreja em torno de um só credo", observou o Papa.

Durante a romaria, chamava atenção a quantidade de pessoas que pagavam promessas por graças alcançadas, levando na cabeça e nas mãos réplicas de casas, barcos ou partes do corpo humano, como braços, pernas e cabeças, confeccionadas em cera.

O inglês Edward Powell, que viajou 11 mil km para acompanhar o Círio pela primeira vez, não conteve a empolgação: "nunca vi nada igual. O povo brasileiro tem uma fé que contagia qualquer um."

Ao seu lado, o canadense Nelson Ratcliff acrescentou ter ficado impressionado ao ver 15 mil fiéis, com pés descalços e agarrados uns aos outros, numa temperatura de 38 graus, segurando uma corda atrelada à berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré.

Ratcliff esteve em 2008 na peregrinação à Meca, na Arábia Saudita, a maior manifestação muçulmana do mundo oriental, mas garante que ela não se compara ao Círio dos paraenses, que para ele é, ao mesmo tempo, "transcendente e original".

AE
Milhões de fiéis tomam as ruas de Belém para homenagear a santa. Público é recorde em mais de 200 anos de procissão

História

A devoção à Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, começou em 1700 quando o caboclo Plácido José de Souza encontrou às margens do igarapé Murutucú (onde hoje se encontra a Basílica Santuário) uma pequena imagem da santa.

Plácido teria levado a imagem para a sua choupana, mas, no outro dia, ela não estaria mais lá. Ele teria reencontrado a santa no igarapé. O desaparecimento e reaparecimento teria se repetido diversas vezes até a imagem ser enviada ao Palácio do Governo. No local do achado, foi construída uma pequena capela.

De acordo com o site oficial do evento, o Vaticano autorizou, em 1792, a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré e o primeiro Círio aconteceu em 8 de setembro de 1793.

No início, não havia data fixa para a procissão, que poderia ocorrer nos meses de setembro, outubro ou novembro. A partir de 1901 ela passou a ser realizada sempre no segundo domingo de outubro.

AE
Religioso segura terço durante Círio de Nazaré, neste domingo

*Com informações do iG São Paulo

    Leia tudo sobre: religiãocírio de nazaréprocissão católica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG