Cinzas de vulcão cancelam voos em aeroportos do Sul

Aeroportos de Porto Alegre e Florianópolis têm cerca de 20% dos voos cancelados nesta quarta-feira

iG São Paulo |

AE
Passageira dorme na manhã desta quarta-feira no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre
As cinzas expelidas pelo vulcão Puyehue, no sul do Chile, provocaram o cancelamento de voos nos aeroportos de Porto Alege e Florianópolis na manhã desta quarta-feira. Desde o início da semana, a nuvem de partículas mudou a paisagem de cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina .

Os dois aeroportos estão entres os grandes terminais aéreos do País com os maiores números de cancelamentos do dia. Em Florianópolis, dos 32 voos agendadados até as 15h, seis (18,8%) foram cancelados. No Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, 13 (19,1%) dos 68 voos marcados até o mesmo horário foram cancelados. Consulte o seu voo e veja o índice de atraso dos aeroportos .

Os voos para a região Sul do País foram interrompidos desde a noite desta terça-feira devido às nuvens de cinzas na região.

As companhias aéreas Gol e TAM informaram que no fim da manhã desta quarta-feira voltaram a operar normalmente nos aeroportos de Florianópolis e Navegantes, em Santa Catarina, e também em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Segundo as empresa, os clientes que tiveram a programação alterada foram avisados via telefone, SMS e e-mail. No período da tarde, nenhum voo em Florianópolis e Porto Alegre foi cancelado.

Cinzas

As cinzas foram trazidas ao espaço aéreo brasileiro devido ao sistema de alta pressão que atua sobre a boa parte da Argentina, Uruguai e sul do Brasil. A cinza vulcânica acaba fazendo parte da névoa seca (com umidade relativa do ar entre 50 e 60%) que vem sendo observada em baixos níveis da atmosfera e próximo à superfície do meio-oeste ao litoral catarinense. Normalmente a névoa seca é formada por partículas de poeira em suspensão, quando o ar está muito seco.

No caso da nevoa seca que está sendo observada em Santa Catarina, composta em boa parte pela cinza vulcânica, a visibilidade está reduziu para 4 km na horizontal e com teto baixo, permanecendo próximo a 3 mil pés (aproximadamente 900m) na vertical, condições estas que limitam a operação visual de aeronaves para pouso e decolagem em aeroportos catarinenses, principalmente no litoral sul e Grande Florianópolis. Os vos nestas condições são feitos com auxilio de instrumentos.

Segundo previsão, pelo menos até a próxima sexta-feira, ainda pode voltar a ser observada névoa seca por alguns momentos sobre o Sul do País.

    Leia tudo sobre: aeroportonuvem de cinza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG