Tamanho do texto

As cinzas da bióloga Fernanda Okamura Abensur, que morreu ao ser atingida, no dia 1º de setembro, por uma enxurrada provocada pelo furacão Hanna, na região de Yunque, em Porto Rico, foram enterradas ontem sob uma muda de Samaúma, no Bosque da Ciência, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Os pais da bióloga informaram que o local era um dos preferidos dela, que se formou no ano passado e seguiu para Porto Rico para fazer mestrado.

O corpo de Fernanda foi encontrado cinco dias depois de ela desaparecer, vítima do furacão. Ela passeava em um rio quando foi arrastada por uma enxurrada.