Cineasta pede em Veneza menos críticas ao cinema italiano

VENEZA ¿ Parece-me o retorno dos mortos vivos, um dia ressurge e no outro morre. Dê-nos um pouco de paz! Em toda a indústria cinematográfica existem altos e baixos, mas na Itália há muita crítica, afirmou nesta sexta-feira o cineasta Pappi Corsicato. O diretor comentou sobre a atual fase do cinema italiano durante o lançamento do filme Il Seme Della Discordia, em concurso no 65º Festival Internacional de Cinema de Veneza.

Agência Ansa |

O diretor Pappi Corsicato e a atriz
Isabella Ferrari / Getty Images

Último dos quatro longas italianos em competição, o filme é uma comédia surreal cheia de citações cinematográficas, inspirada na obra "A Marquesa D'O",  de Heinrich Von Kleist. A história gira em torno de uma belíssima mulher (Caterina Murino) casada com um representante comercial (Alessandro Grassman). No dia em que ela descobre estar grávida, ele descobre ser estéril.

"Volto ao cinema após sete anos depois do fracasso de 'Chimera' (2001). Ninguém me deixava mais fazer filmes, depois convenci os produtores com esta obra rápida e espirituosa. Eu queria mesmo me divertir", disse o diretor.

Inspirando-se em "O Encouraçado Potemkin" (1925) e "Milano Calibro 9" (1972), Corsicato confessa ter reelaborado o cinema do passado, especialmente as comédias italianas dos anos 1970. "Este filme fala de temas importantes como o aborto, a inseminação artificial, e eu tinha vontade de brincar com isso. Não faço uma análise nem julgamentos, mas espero não ter sido ofensivo", disse o diretor, referindo-se a uma cena em que o protagonista bate-boca com uma falsa freira.

"O filme foi rodado em abril e maio e não pensava nele em nenhum festival, muito menos em Veneza, mas (Marco) Müller [diretor desta edição da Mostra de Veneza] insistiu. Era difícil dizer não. Francamente, seria grosseiro. Para mim, que fiquei parado por sete longos anos, o que importa é que o filme faça uma boa carreira nas salas de cinema", considerou Corsicato.

Nos últimos anos, Corsicato escreveu vários roteiros para tentar voltar às telas, mas todos eles foram negados. "Um era ambientado em uma clínica estética e, até a metade do filme, os atores ficavam todos vendados; um outro era para um filme de ficção científica e um outro era sobre a vida de San Gennaro", contou.

Leia mais sobre: Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG