O relatório de 800 páginas que contesta os laudos oficiais sobre o desabamento das obras da Estação Pinheiros do Metrô de São Paulo, encomendado pelo consórcio Via Amarela, foi entregue hoje a cinco órgãos envolvidos com as investigações do caso. O documento aponta supostas falhas no laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Além do IPT, receberam cópia do relatório a Polícia Civil de São Paulo, Ministério Público (MP), Instituto de Criminalística (IC) e a Companhia do Metrô.

O consórcio Via Amarela, composto pelas empresas Odebrecht, Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão e Andrade Gutierrez, é responsável pela obra, que desabou em janeiro do ano passado, deixando um saldo de sete mortos. No relatório divulgado hoje, técnicos atribuem o acidente às condições geológicas do terreno e negam que o consórcio tenha executado algo diferente do projeto. O IPT informou, em nota, que técnicos de sua equipe vão se reunir para analisar o relatório e, na próxima semana, devem se manifestar sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.