"Cigarro precisa ser gradativamente extinto", diz especialista

Pesquisa mostra que o risco de infarto chega a ser até 4,6 vezes maior em tabagistas

Agência Estado |

selo

"As pessoas precisam ter a consciência de que o cigarro precisa ser gradativamente extinto, pois fumar causa males à saúde e ao nosso meio ambiente", afirma Silvia Cury Ismael, chefe do Serviço de Psicologia e responsável pelo Programa de Cuidado Integral ao Fumante do Hospital do Coração (HCor).

A declaração de Silvia vem acompanhada da pesquisa mundial Interheart, que avaliou os fatores de risco para um ataque cardíaco.

Realizado com mais de 27 mil pessoas, o levantamento mostra que o risco de enfarte aumenta em 63% nas pessoas que fumam menos de dez cigarros por dia; para os que acendem entre 10 e 19 cigarros, a chance aumenta em 2,6 vezes; e para quem fuma mais de 20 cigarros, a risco sobe 4,6 vezes.

100 cigarros

"Outro dado importante é que os jovens têm fumado cada vez mais o narguilé, que, por utilizar fumo perfumado, parece não fazer mal. Mas uma sessão de narguilé corresponde a 100 cigarros fumados em quantidade de nicotina”, alerta Silvia.

    Leia tudo sobre: cigarrocirculaçãocoração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG