O resultado da http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/04/17/serra+mantem+dianteira+sobre+dilma+diz+datafolha+9461156.htmlpesquisa Datafolha, em que o pré-candidato do PSDB, José Serra, aparece com dez pontos de diferença em relação à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, aumentou as expectativas de cientistas políticos pela divulgação da pesquisa do Ibope, prevista para o dia 21. Poderá ser uma espécie de tira-teima, já que a pesquisa Sensus divulgada na semana passada apontava para um empate técnico entre os dois candidatos.

Na pesquisa Datafolha de hoje, Serra aparece com 38% das intenções de voto e Dilma com 28%, enquanto que no levantamento do Sensus da última terça-feira, a diferença entre os dois era de 0,3 pontos percentuais. Dez dias antes, a pesquisa do Voxpopuli também indicava um empate técnico, mas com diferença de três pontos percentuais de Serra para Dilma.

Por isso, as atenções dos analistas estão voltadas agora para a divulgação do levantamento do Ibope.

Mas, segundo o cientista político, professor de ética e filosofia da Unicamp, Roberto Romano, existe o risco do resultado do Ibope colocar ainda mais dúvidas sobre a análise da corrida presidencial. A discrepância entre o Sensus e o Datafolha é enorme. É difícil explicar isto pela margem de erro, afirmou.

Para ele, a diferença entre os resultados é mais um ingrediente do cenário de uma campanha tensa que vem sendo desenhado desde o ano passado. De fato vamos ver uma campanha muito violenta. Totalmente fora dos padrões comuns da ética de campanha e com surpresas surgindo a cada momento, acrescentou.

O cientista político Amaury de Souza, entretanto, acha possível um resultado distante da média e não vê grandes mudanças na pesquisa do Ibope.

Pesquisas podem, mesmo sendo bem feitas, chegar a resultados muito fora da média. Por algum motivo a amostra selecionada pode não corresponder ao cenário atual, disse, referindo-se ao levantamento do Sensus.

Em relação ao Datafolha, Souza considera que o resultado reflete a média dos dois candidatos verificada no ano passado. Dilma saiu no início de 2009 de uma base média de 10% para 25%, e o Serra se manteve entre 35% e 40%. É isso que a pesquisa de hoje mostra, afirmou.

Já o historiador da Universidade Federal de São Carlos, Marco Antônio Villa, acredita que se o resultado do Ibope da semana que vem confirmar a diferença de dez pontos entre Serra e Dilma é difícil que o pré-canditato do PSDB não carregue a liderança até junho, época das convenções dos partidos.

Acho que vai reforçar [pesquisa Ibope] esta tendência. E aí acende o sinal amarelo de que a estratégia da campanha Dilma não vai bem, disse.

Outras pesquisas

  • Vox Populi (abril): Empate técnico entre Serra e Dilma
  • Ibope (março): Diferença entre Serra e Dilma cai para 5 pontos
  • Datafolha (março): Serra abre 9 pontos sobre Dilma
  • CNT/Sensus (fevereiro): Dilma sobe e se aproxima de Serra
  • Sintrapav/Sensus (abril): Empate entre Serra e Dilma

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.