Cientistas derivam células-tronco de ratos para pesquisar doenças

Cientistas conseguiram derivar células-tronco embrionárias autênticas de ratos, pela primeira vez, segundo informações da agência de notícias da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O processo deve ajudar no desenvolvimento de modelos animais mais eficientes para o estudo de doenças que afetam o homem.

Agência Estado |

O trabalho, feito por pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia (USC), nos Estados Unidos, foi publicado na edição de 26 de dezembro da revista Cell .

Na mesma edição da revista, um grupo liderado por cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, descreveu conquista semelhante, em estudo independente. A descoberta representa um passo à frente no objetivo de criar ratos modificados geneticamente para que não tenham um ou mais genes e possam ser usados na pesquisa biomédica. Ao observar o que acontece com os animais quando um gene específico é removido, os pesquisadores podem identificar a função desse gene e se ele está ligado a uma determinada doença.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG