O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), pediu desculpas hoje pelo constrangimento causado ao povo cearense envolvendo o episódio da carona que ele deu à sua sogra, Pauline Carol Habib Moura, para a Europa. A viagem, que durou dez dias, aconteceu no carnaval deste ano e foi feita em um jatinho fretado por R$ 388,5 mil, pago com dinheiro público.

Ele, no entanto, sustentou não ter cometido nenhum ato ilegal ou imoral. E que só pagará pela corona da sogra se os órgãos de controle do Estado julgarem que ele errou. "Eu peço desculpas pelo constrangimento que essa questão causou ao povo cearense. É por isso que eu peço desculpas. Não me consta que eu tenha cometido nenhuma ilegalidade. Não se aponta nenhuma lei, nenhuma regra que eu tenha descumprido", afirmou Cid.

Os explicações sobre a viagem foram dadas durante coletiva à imprensa hoje, no "Dia da Sogra". A entrevista aconteceu na Assembléia Legislativa do Ceará, onde o governador realizou um leilão para contratar empresas para construção de duas casas de detenção provisória. Esta foi a primeira vez que ele falou sobre o assunto. A denuncia se tornou pública na semana passada, quando o governador estava numa outra viagem, desta vez para a Ásia, em avião de carreira, sem a mulher e nem a sogra. Ele voltou de viagem sábado à noite. O evento na Assembléia foi o primeiro ato público do qual participou.

Cid disse ter agido de boa fé. Alegou que não houve nenhum custo ou despesa extra com a carona dada à sogra e às esposas de dois assessores dele, que também estavam no avião. "O vôo é cobrado por quilômetro e não por número de passageiros. As despesas pessoais da mãe de minha esposa e dos demais passageiros, que não cumpriam missão oficial, bem como suas hospedagens, não foram pagas com dinheiro público e, portanto, nada custaram ao Estado", sustentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.