Chuvas provocam três mortes no Sul

Os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul confirmaram hoje mais duas mortes provocadas pelas fortes chuvas que atingiram a região sul do país nos últimos dias. Em Santa Catarina, foi confirmada a morte de Clóvis Roberto Belin, 30 anos.

Agência Estado |

Ontem, durante a enxurrada em Campo Belo do Sul, no Planalto Serrano, ele foi arrastado pela correnteza enquanto tentava atravessar, de carro, uma ponte alagada. Foi o primeiro óbito registrado no Estado desde a queda de granizo e vendaval de sábado.

No Rio Grande do Sul, foi confirmada a segunda vítima das chuvas recentes. Um morador de Taquara, identificado como Darci Assunção, de 44 anos, caiu no rio dos Sinos e morreu afogado quando tentava sair de casa, durante a madrugada. Na tarde anterior, ele havia rechaçado sugestão dos bombeiros para deixar o local.

Segundo previsão do diretor da Defesa Civil, Márcio Luiz Alves, Santa Catarina terá chuvas intensas nos próximos sete dias. Alves também alerta que, a partir de domingo, poderá chover em um dia o equivalente a um mês no Estado. "Precisamos ficar atentos pois a emergência ainda não acabou", enfatizou durante encontro com o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB).

Questionado sobre um plano de contingência do governo para minimizar os efeitos das catástrofes que se repetem no Estado, o governador respondeu que se torna impossível prever as variantes de intensidade dos eventos climáticos. "Estamos atentos e disponibilizando tudo o que for necessário para auxiliar os atingidos. As pessoas também precisam colaborar. Tem gente em áreas de risco que teima em deixar o local onde mora", afirmou Luiz Henrique. Ele informou que um mutirão está em ação distribuindo telhas, lonas e cestas básicas para ajudar na reconstrução das casas atingidas e prestar assistência às pessoas afetadas pela última tempestade.

No Rio Grande do Sul, a Defesa Civil alerta os moradores de áreas de risco para a previsão de retorno das chuvas amanhã. Hoje as chuvas deram uma trégua no Estado. O nível dos rios ainda deve subir nas próximas horas como efeito do escoamento das águas de afluentes em direção ao Vale do Caí e Vale do Taquari, explicou o chefe da comunicação social da Defesa Civil, capitão Alexsandro Goi. O órgão monitora as populações em áreas próximas e não recomenda o retorno dos moradores a áreas com risco de alagamento, observou o capitão.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG