Chuvas no Maranhão deixam quatro mortos e um desaparacido

BRASÍLIA - As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no Maranhão. As cidades de Trizidela do Vale, São Luiz Gonzaga, Marajá do Sena, Cajari, Alto Alegre do Maranhão, Lago da Pedra, Arame, Dufilândia, Presidente Vargas, Nina Rodrigues, Pindaré-Mirim, Pedreiras, Duque Bacelar, Codó, Rosário,Curuatá, Cantanhede e Bacabal decretaram situação de emergência. No total, mais de 82 mil pessoas foram atingidas. Dessas, 11.918 estão desabrigadas e 16.960, desalojadas.

Agência Brasil |

Após a chuva desta terça-feira, a BR-222 no oeste do Estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias.

AE
Chuvas causaram a ruptura de tubulação em Arari, isolando o municipio da capital
Nos últimos dias, o nível do Rio Mearin aumentou em 7 metros, o rio Itapecuru, em 8 m. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão devem enfraquecer a partir desta quarta-feira.

No Piauí, a chuva forte na madrugada de terça-feira (28) também atingiu 2.425 famílias. Os municípios de Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Ilha Grande, Luís Correia, Miguel Alves, Piracuruca e Santa Filomena decretaram situação de emergência. A previsão do tempo para o estafo é de chuvas moderadas a fortes em áreas isoladas, durante o fim de semana prolongado.

Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG