Em apenas dois meses de verão no Estado de São Paulo, as chuvas mataram quase três vezes mais que nos quatro meses da temporada passada. Segundo a Defesa Civil, foram 68 mortes (uma ocorrência registrada em Cunha, no dia 26, está sob avaliação do órgão).

Entre dezembro de 2008 e abril de 2009 foram 24 vítimas.

O aumento condiz com o volume de chuva registrado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Com precipitação de 480,5 milímetros (cada mm equivale a um litro de água por metro quadrado) na capital até as 23 horas de ontem, janeiro de 2010 já é o mais chuvoso desde o de 1947, quando choveu 481,4 mm. Se hoje e amanhã chover mais do que 0,9 milímetro, o mês será o de maior volume desde 1943, início da medição.

Entre as 68 mortes, 45 teriam sido causadas por deslizamentos ou desabamentos e 8, por raios. O número de pessoas que morreram afogadas ou arrastadas por enxurradas chegou a 15. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.