Chuvas deixam 33 mil desabrigados no Maranhão

Relatório da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado do Maranhão (Cedec) atesta que são 33 mil desabrigados no Estado por conta das chuvas. Ao todo, 55.

Agência Estado |

013 pessoas foram atingidas pelas enchentes. Quatro pessoas morreram e uma está desaparecida. Os óbitos foram registrados nos municípios de Lagoa Grande (três vítimas) e Governador Archer (um). Há um desaparecido em Alto Alegre do Pindaré.

Segundo o levantamento da Cedec, subiu para 28 o número de cidades que decretaram situação de emergência e para seis os municípios que decretaram estado de calamidade pública. Dos 217 municípios maranhenses, em 86 há registros de pessoas desabrigadas (sem lugar para ficar) ou desalojadas (abrigadas em casa de conhecidos).

Os municípios mais atingidos pelas chuvas foram Trizidela do Vale e Pedreiras. Somente em Trizidela do Vale, 3.836 pessoas estão desabrigadas. Foram disponibilizados oito alojamentos em órgãos públicos estaduais, municipais e federais. A comida e a água potável aos desabrigados estão escassas. Doenças como conjuntivite começam a atingir pessoas nos abrigos públicos. O Exército deslocou 40 homens para a região do rio Mearim, na cidade de Pedreiras e Trizidela do Vale, para prestar socorro às vítimas.

Em decorrência das chuvas, o governo do Estado criou um Comitê Permanente de Emergência (Cope), estruturado às pressas nas dependências do Palácio Henrique de La Rocque (sede administrativa do governo do Maranhão), em São Luís, para contabilizar as informações sobre as cheias e planejar as ações emergenciais do Executivo estadual.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG