Chuvas causam prejuízos e deixam feridos em Alagoas

As chuvas voltaram a causar transtornos, prejuízos materiais e ferimentos em moradores atingidos por queda de barreiras hoje em Maceió. No entanto, até o final da tarde, não havia registro de mortes provocadas pelas chuvas.

Agência Estado |

Mesmo assim, os técnicos da Defesa Civil Municipal estão em alerta para possíveis deslizamentos de barreiras e desabamentos de casas em vários pontos da cidade, considerados como áreas de risco. A previsão do tempo, segundo o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é de chuvas e muita nebulosidade em grande parte do Nordeste.

Desde o carnaval, quando a cidade sofreu os primeiros estragos das chuvas este ano, que a Defesa Civil Municipal identificou os pontos críticos em Maceió. Os principais estão nos bairros do Canaã, Benedito Bentres, Bebedouro, Ouro Preto, Grota do Moreira, Vale do Reginaldo, Grota do Rafael e Mutange. De acordo com informações do coordenador da Defesa Civil Municipal, coronel PM Antônio Almeida, durante todo o dia, foram registrados 47 ocorrências, entre quedas de árvores e desabamento de barreiras e residências.

"Em boa parte da cidade a situação é preocupante, mas não é crítica. Estamos fazendo um trabalho preventivo, com cobertura de encostas para evitar deslizamentos. Também contamos com o apoio dos presidentes das associações dos bairros para que antecipem a retirada dos moradores das áreas de risco e, com isso, é importante que essas pessoas atendam a solicitação", informou o coronel Almeida, acrescentando que há trinta meses não ocorrem registros de mortes por desastre em Maceió.

A Defesa Civil Municipal pede que os moradores das áreas de risco que procurem casas de familiares antes dos deslizamentos de barreiras. "Peço também que mantenham a calma. Se a casa tiver ameaçada, é melhor que saiam e busquem abrigo em casa de parentes", apelou.

Bebê ferido

O problema mais grave registrado com as fortes chuvas foi o desabamento de uma residência na grota do Ouro Preto, na parte alta da cidade. Cinco pessoas de uma família ficaram feridas com o soterramento da casa. Entre os atingidos, estão um bebê de dois meses e duas crianças. A barreira caiu por cima da casa onde estavam. Vizinhos contaram que chovia muito no momento do soterramento e que, assim que souberam do ocorrido, saíram para ajudar a família. O bebê foi encaminhado ao posto de Saúde do Ouro Preto e depois foi levado para o Hospital Geral do Estado, por uma equipe do Samu. Vizinhos contaram que o estado de saúde dele já é estável e que ele não corre risco de morte.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG