Moradores do Jardim Romano, na zona leste de São Paulo, voltaram a sofrer com os estragos causados pelas chuvas que caíram na região desde a noite do último domingo. Na manhã desta segunda-feira, várias ruas permaneciam alagadas.

Os moradores da região já haviam convivido com os alagamentos diários por mais de duas semanas, a partir do dia 8.

AE
Agentes da Defesa Civil ajudam os moradores do Jardim Romano


Durante a tarde de domingo, antes as chuvas provocarem novos estragos, cerca de 200 moradores atearam fogo em pneus, pedaços de madeira e papelão, interditando a Rua Manuel Félix de Lima, pedindo reposição de pertences estragados.

A segunda-feira amanheceu com tempo nublado e chuviscos isolados na capital paulista, mas ao longo do dia, o sol aparece entre nuvens, segundo previsão do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

O tempo fica abafado e com temperaturas altas à tarde, com a máxima chegando aos 28ºC. A partir do período da tarde, retorna a condição de pancadas típicas de verão, provocadas por áreas de instabilidade formadas pelo aquecimento e umidade.

De acordo com o CGE, as chuvas intensas, que devem chegar por volta das 16 horas de hoje, devem provocar novos alagamentos na cidade.

Medidas

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que percorreu, no sábado, a região do Jardim Romano e acompanhou, junto com o vice-governador Alberto Goldman, o trabalho das equipes de apoio à população, deve anunciar, às 11 horas de hoje, novas medidas que, segundo a Prefeitura, vão beneficiar os moradores da região.

Segundo a Prefeitura, as famílias estão sendo visitadas por assistentes sociais que orientam sobre o cadastramento no projeto proposto para a região, entre eles o monitoramento constante dos índices pluviométricos durante o período de chuvas.

A força-tarefa já presente no local inclui médicos, dentistas, assistentes sociais e uma unidade móvel do Poupatempo. Já foram removidas 100 famílias para apartamentos da CDHU em Itaquaquecetuba, e outras 240 unidades já estão sendo liberadas para receber famílias, segundo a Prefeitura.

Protesto exige solução para alagamento:


Desabamento

Por volta das 23 horas de ontem, pelo menos sete barracos desabaram na Rua do Bamburral, na região de Perus, na zona norte da capital paulista. Uma pessoa ficou levemente ferida e foi encaminhada ao Pronto-Socorro de Taipas.

Por conta das chuvas que atingiram a capital desde domingo, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) deixou a cidade de São Paulo em estado de atenção das 23h20 à 1h27. A chuva foi provocada por uma área de instabilidade vinda do interior do Estado.

Devido ao grande volume de água, cinco pontos de alagamentos foram formados. Um deles intransitável, segundo o CGE. Por volta das 8h30 de hoje, apenas três permaneciam ativos. Um deles na Ponte Aricanduva, outro na Marginal do Pinheiros e outro na Rua da Cantareira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.