As chuvas dos últimos dias causaram problemas na região de Sorocaba, no interior do Estado de São Paulo. Em Mairinque, o deslizamento de um barranco de 25 metros derrubou um muro e deixou exposto os alicerces do posto de saúde do Jardim Vitória.

A prefeitura interditou a unidade. O atendimento aos 300 pacientes foi transferido para outras postos municipais. Os engenheiros da prefeitura estiveram no local e estão analisando se houve sérios danos na estrutura do prédio. Segundo eles, ainda não têm previsão de quando o posto voltará a funcionar.

Em Itu, 20 casas foram interditadas depois que uma encosta deslizou no Jardim Europa, periferia da cidade, em consequência das últimas chuvas. Parte das famílias se nega a deixar os imóveis.

Na zona rural, duas pontes caíram e deixaram isolados os moradores do Vale da Brisa, Carvalho e Eldorado. O acesso a esses bairros está sendo feito somente a pé, de bicicleta ou moto. De carro, o trajeto aumentou em 10 quilômetros e as estradas rurais estão intransitáveis, causando mais transtornos aos moradores.

Rio Capivari

Uma semana depois, os desabrigados em Capivari, interior de São Paulo, ainda não podem retornar às suas casas. O rio Capivari, que subiu 4 metros alagando 850 casas na madrugada de 28 de dezembro, baixou nesta sexta-feira para 2,40 metros. No entanto, a água ainda continua acumulada em vias e dentro dos imóveis. Seu nível normal é 80 centímetros. Muitas construções já estão condenadas.

Capivari tem 50 mil habitantes e sofreu três enchentes em dezembro. O prefeito Luis Donisete Campaci (PMDB) disse que espera nos próximos dias a assinatura do governo do Estado para a abertura da licitação para a construção de casas populares pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). "Temos o terreno, o projeto e falta somente esse detalhe para iniciarmos as obras", disse.


Leia mais sobre: chuvas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.