Chuva obriga 2.700 moradores a deixar suas casas no Rio de Janeiro

Levantamento feito na manhã desta sexta-feira pela Coordenação da Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro mostra que cerca de 2.733 pessoas tiveram de deixar suas casas com as inundações provocadas pelo transbordamento de córregos e rios na Baixada Fluminense.

Redação |

Apenas em Belford Roxo, o total de desalojados - pessoas que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares - chega a 471, enquanto que o número de desabrigados - os que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos - é de 110.

AE
Gessi da Silva Dantas, moradora do Bairro de Pilar, mostra que perdeu quase tudo com a enchente em Duque de Caxias

Gessi, moradora do Bairro de Pilar, mostra que perdeu quase tudo


Em Duque de Caxias, 80 moradores permanecem desalojados e 25 desabrigados. Já em Nova Iguaçu 120 pessoas estão desalojadas. Em Tanguá existem 193 desalojados.

De acordo com o balanço, em Valença, no Médio Paraíba, 148 moradores estão desalojados e 19 desabrigados. Já em Três Rios, no centro-sul fluminense, foram contabilizados 1,5 mil desalojados e 40 desabrigados. Na região noroeste, em Natividade, 27 pessoas permanecem desalojadas.

Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, três pessoas de uma mesma família morreram e duas ficaram feridas em decorrência de um deslizamento de terra. A casa da família, que ficava localizada na Serra do Tinguá, foi totalmente destruída.

Medidas de emergências

AE
alt
do Corpo de Bombeiros, na casa de Raquel Cristina, atingida pelo alagamento em Duque de Caxias" src="http://publicador06.brti.com.br/publicador/bancoimagem/resizeimagem?codimg=7146033&maxDim=250" proporcao="0.6666666666666666"

Casa de Raquel atingida pelo alagamento

Na quinta-feira, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, anunciou duas medidas de emergência para a população dos municípios atingidos pelas chuvas. Segundo ele, as pessoas atingidas pelo mau tempo serão cadastradas e incluídas no programa Aluguel social. Além disso, o governo irá erguer a partir de sexta-feira um hospital de campanha na Baixada Fluminense.

De acordo com Cabral, os recursos para o aluguel social vão ser repassados pelos municípios a pessoas temporariamente impedidas de voltar para suas casas. Em relação ao hospital de campanha, a unidade terá capacidade para atender até 500 pessoas por dia e será instalada no Clube Vale do Ipê, no bairro Lote XV, em Belford Roxo.

O governador informou ainda que conversou nesta quinta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele garantiu a Cabral e ao ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, os recursos necessários para atender os Estados prejudicados pelas fortes chuvas. No total, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e Paraná irão receber, por meio de uma Medida Provisória a ser editada, R$ 400 milhões para socorro, reconstrução e prevenção contra temporais.

Na quinta-feira, Cabral e Vieira Lima sobrevoaram de helicóptero as cidades de Nova Iguaçu e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os municípios, ao lado de Tanguá, na Região das Baixadas Litorâneas, foram os locais mais atingidos por temporais ocorridos na noite de quarta-feira.

(*com informações da Agência Estado)

Assista ao vídeo sobre as chuvas no Rio:

Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG