Devido às chuvas, a prefeita de Campos, Rosinha Matheus (PMDB), adiou para março o carnaval oficial da cidade. A ex-governadora do Rio, que é evangélica, alegou que a realização da festa, que começa no sábado, seria um desrespeito às cerca de 10 mil pessoas que continuam desalojadas e abrigadas nas escolas públicas.

Pelo mesmo motivo, o início das aulas foi adiado para o mês que vem.

Segundo o secretário municipal de Defesa Civil, Henrique Cordeiro, a cidade continua em estado de alerta. Ontem, mais quatro famílias da Ilha do Cunha ficaram desabrigadas porque o Rio Paraíba do Sul subiu quatro metros com as chuvas que atingem Campos desde quinta-feira.

Outras famílias continuam em áreas alagadas, mas se recusaram a deixar suas casas por medo de terem os pertences roubados. "A gente respeita a opinião deles e fica monitorando para ver se realmente a situação não oferece riscos. Agora a tendência é o nível do rio baixar gradativamente, mas vamos continuar vigilantes", disse o secretário.

Pelo menos três municípios, Paraíba do Sul, Três Rios e Sapucais, decretaram estado de emergência por causa do transbordamento do Rio. Cerca de 3.000 pessoas ficaram desalojadas.

Em Itaboraí, no Grande Rio, a prefeitura informou que 1.550 pessoas foram afetadas, 334 casas alagaram, 30 casas foram danificadas, quatro destruídas e cinco interditadas por risco de desabamento.

De acordo com o último balanço da Defesa Civil Estadual, no sábado, desde quinta-feira o mau tempo deixou 3.620 desalojados e 1.336 desabrigados em todo o Estado. O município mais atingido, segundo a secretaria, é Paraíba do Sul. A parte histórica, o centro e três bairros que ficam bem próximos ao Rio estão totalmente inundados.

Ontem, o governador Sérgio Cabral esteve em Itaperuna, também no norte fluminense, para anunciar a liberação de R$ 200 milhões para obras de recuperação dos canais da Baixada Campista. Ele também irá investir R$ 80 milhões na melhoria das estradas para a região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.