Chuva de ontem em SP foi a maior em 10 anos, diz CGE

A chuva que provocou ontem seis mortes e deixou estragos e inundações na capital paulista foi a maior registrada em dez anos, desde a fundação do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), em 1999.

Agência Estado |

Segundo o técnico em meteorologia do órgão, Adilson Nazário, a precipitação média total em São Paulo registrada durante as 24 horas - até a meia-noite de ontem -, chegou aos 77,4 milímetros de chuva. Pelos registros do CGE, a marca bateu o recorde observado no dia 24 de maio de 2005, quando o volume atingiu os 76,2 mm.

Se comparado com os registros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que faz a medição desde 1943, essa marca passa a ser a segunda maior para o mês de dezembro desde 1988, quando foi registrado em 24 horas o volume de 151.8 mm, no dia 21.

De acordo com Nazário, em alguns bairros os valores excederam os 100 mm. Na Consolação, a marca chegou aos 122,6 mm; em Ermelino Matarazzo, a 119,8 mm; no Itaim Paulista chegou a 109,3 mm; na Lapa, a marca foi de 106,8; em Itaquera de 105,4 mm; e em Guaianazes de 101,4 mm.

Segundo Nazário, chove quase todos os dias na cidade de São Paulo desde 20 de novembro, com uma trégua apenas no dia 30. Já em dezembro não choveu apenas no último domingo. O total do volume de chuvas nesses oito dias do mês, segundo Nazário, chegou a 144,8 mm, chegando a 72% do esperado para o mês. A média para dezembro é de 201 mm. "Há a expectativa que este mês dezembro ultrapasse a média climatológica", conclui.

Previsão

Nos próximos dias, uma frente fria associada a áreas de instabilidade ainda influencia o tempo em boa parte do Estado de São Paulo e na capital paulista. A previsão é de pancadas de chuva pelo menos até o fim de semana. Amanhã, está previsto apenas pancadas de chuva leve a moderada no fim do dia. A temperatura máxima deve atingir os 26ºC.

Já na sexta e no sábado, a formação de uma área de baixa pressão dá origem a uma frente fria, que traz de volta as chuvas fortes para a capital paulista e a Grande São Paulo. Como isso, eleva-se o potencial para a formação de alagamentos e risco de novos deslizamentos de terra em função do solo já bastante encharcado. De acordo com Nazário, os maiores volumes de chuva devem ficar concentrados na sexta-feira e no sábado.

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG