O Corpo de Bombeiros de Curitiba passou a tarde procurando um jovem de 23 anos, que teria desaparecido quando tentava atravessar o Rio Atuba, em Curitiba, por uma tubulação da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). As águas do rio transbordaram na região do Bairro Alto, região norte da cidade, e deixaram submersa a ponte utilizada para a travessia.

As buscas foram interrompidas esta noite e devem ser retomadas amanhã. O temporal prejudica 26 mil moradores no Estado.

Em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, o Rio Palmital saiu do leito e inundou o Jardim Cláudia. O prefeito Luiz Goularte Alves decretou estado de emergência e preparou quatro abrigos para receber a população. Em 24 horas choveu mais de 140 milímetros no município, quando a média para o mês de abril é de 125 milímetros. Em Cascavel uma pessoa ficou ferida em decorrência de ventos.

A Defesa Civil do Paraná contabiliza cerca de 26 mil paranaenses sofrendo diretamente as consequências das chuvas fortes que começaram ontem e provocaram principalmente danos às residências. Desses, 5,4 mil estavam em abrigos públicos ou em casas de parentes e amigos. Além deles, o órgão estadual citava 45 mil curitibanos sem fornecimento de energia elétrica. A Companhia Paranaense de Energia (Copel) disse que, até o fim da tarde, 7,8 mil domicílios estavam sem luz.

Em Cascavel, as estações meteorológicas registraram ventos com cerca de 100 km/h no início da madrugada na cidade. No aeroporto, um avião da Trip, com capacidade para 68 passageiros, que estava estacionado e vazio, girou na pista. A cauda da aeronave ficou danificada, em razão do choque com uma telha. Partes do saguão e de hangares particulares tiveram as coberturas arrancadas e a pista ficou interditada até por volta das 10h. Em Cascavel, 80 casas foram destelhadas.

Outra situação delicada foi enfrentada em Francisco Beltrão, onde rios transbordaram e obrigaram 950 pessoas a deixarem suas casas. Em General Carneiro, no sul do Paraná, as águas formaram um rio com cerca de 1,5 metro de profundidade no centro da cidade e levaram 130 pessoas a abandonarem as residências. Em Prudentópolis, o trevo de acesso à cidade foi interditado na BR-277, pois o asfalto cedeu abrindo um buraco com cerca de 2 metros de largura.

Em Curitiba e alguns municípios da região metropolitana, como Pinhais, Colombo, Almirante Tamandaré e Araucária, as tempestades provocaram alagamentos em várias ruas, dificultando o tráfego de carros. Em alguns locais, o acesso era feito apenas por meio de barco. Em Almirante Tamandaré, uma casa desabou. O maior problema foi sentido por cerca de 4,2 mil moradores de Colombo, dos quais 300 precisaram de abrigo público e o restante foi para a casa de parentes ou conhecidos.

De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, as chuvas devem continuar amanhã, mas com menos intensidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.