LOS ANGELES ¿ O ator Christian Bale se tornou a última personalidade de Hollywood a protagonizar uma polêmica nos bastidores de um set de filmagem, ao insultar um colega de elenco durante as gravações de O Exterminador do Futuro: A Salvação, mas há outros casos famosos na história da Meca do cinema.

O astro, que interpretará John Connor no novo filme baseado na saga de "O Exterminador do Futuro", popularizada nos anos 1980 por Arnold Schwarzenegger, ficou irritado quando o diretor de fotografia do filme, Shane Hurlbut, interrompeu acidentalmente a gravação de uma cena chave.

O ator britânico mandou-o sair do set, e, apesar de Hurlbut ter se desculpado, Bale respondeu e disse que ele não deveria pedir desculpas e que pensasse um segundo antes de fazer as coisas.

"Eu interrompo quando você acerta as luzes?", continuou gritando Bale, dentro de um incidente gravado em áudio e que durou quase quatro minutos. A discussão vazou na internet na segunda-feira, e, nela, é possível escutar 37 vezes a palavra "fuck".

O episódio causou impacto na indústria, serviu como objeto de paródias no YouTube e abriu o debate: esse foi um caso de absoluta falta de educação ou de uma discussão tirada do contexto? Aparentemente, Bale, no momento, se encontrava em frente à atriz Bryce Dallas Howard para gravar uma das cenas fundamentais do novo filme quando Hurlbut passou por trás da protagonista e desconcentrou o intérprete.

Um dos produtores do longa, Bruce Franklin, já saiu em defesa do astro, destacando que Bale era um "profissional consumado", a quem a intensidade acabou atrapalhando. "Era a cena mais emotiva do filme", disse Franklin. "E o interromperam na metade (...). Não estava assim o dia inteiro, foi só nesse momento e passou", acrescentou.

Há quem especule que, com a discussão, somada ao episódio que protagonizou em julho quando foi detido após uma suposta agressão à mãe e à irmã, Bale, de 35 anos, pode ficar sem futuras indicações ao Oscar, como por seu papel no drama criminal "Inimigos Públicos", dirigido por Michael Mann e no qual atua junto a Johnny Depp.

Outros creem que não tem por que manchar sua carreira profissional, como ocorreu com algumas celebridades, como Jack Nicholson, Sean Penn, Mel Gibson ou Russell Crowe, que sobreviveram a escândalos similares.

Nicholson ainda é lembrado por seu ataque de fúria em 1994, quando decidiu descer do carro e bater, com um taco de golfe, o parabrisas de outro veículo que o impedia de avançar na estrada. Apesar de o motorista ter processado o ator, o assunto foi resolvido fora dos tribunais.

O mesmo não ocorreu no caso de Gibson, que cumpriu 17 meses de liberdade condicional após ser detido em 2006 por dirigir embriagado, em um incidente mais lembrado por suas palavras contra os judeus, aos quais acusou de serem os culpados "de todas as guerras do mundo".

Meses antes, Crowe foi detido em um hotel de Nova York por ataque em segundo grau, após atirar um telefone no zelador, após uma discussão que começou quando o ator não conseguiu ligar para a esposa, na Austrália.

E Penn, muito antes de sua recente candidatura ao Oscar por "Milk - A Voz da Igualdade" e de haver ganhado a estatueta por "Sobre Meninos e Lobos", onde extravasou sua raiva, foi acusado de violência doméstica durante seu casamento com Madonna e acabou na prisão após bater em um paparazzi.

(Reportagem de Antonio Martín Guirado)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.