Chocolate: a doce e saudável delícia da Páscoa Por Adriana Cardoso São Paulo, 01 (AE) - Depois de abandonar o noivo violento no altar, Julia Bennet sai dirigindo a toda velocidade ainda trajando o vestido de noiva. Com uma mão no volante e outra na bolsa, ela abre uma caixa contendo uns quadradinhos de chocolate.

Ainda aos prantos, come um... No segundo, sente-se mais calma. No terceiro, o pranto se transformou em euforia. A libertação. Ao chocolate Julia se agarra e é ele quem lhe desvenda um novo mundo. Esta história é contada no romance "Terapia do Chocolate", (Ed. Arx), da escritora americana Cathy Lamb, mas poderia ser o enredo de nossas vidas. Quem de nós já não sentiu a sensação de bem-estar proporcionada por um (ou vários) bom naco de chocolate?
A sensação de bem-estar não é à toa. Tem explicação científica. O chocolate contém substâncias que aumentam os níveis de serotonina no cérebro, a mesma que provocam os exercícios físicos e a relação sexual e que nos dá a sensação de bem-estar. Daí muita gente se dizer viciada em chocolate. Mas, calma lá, não é por isso que, na Páscoa, você vai abandonar os exercícios físicos e passar o dia se entupindo de chocolate para ficar calminho. "O chocolate é bom, porque é gostoso, mas também engorda. Por isso não indico como terapia", alerta o cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração de São Paulo (HCor) Daniel Magnoni.

"O chocolate tem várias propriedades nutritivas, mas o excesso pode causar obesidade, enxaqueca, irritações na pele, no estômago, além de distúrbios intestinais", observa a nutricionista clínica do Hospital Sírio Libanês Adriana Yamaguti.

E também não é qualquer chocolate que traz todos esses benefícios, conforme alertam os profissionais. Há chocolates e chocolates e quanto mais amargo melhor, nos quais o cacau, no qual se concentram os nutrientes, está mais evidente. Por isso, atenção ao rótulo dos ovos, barras e caixas de bombons dispostos nas prateleiras dos supermercados.

A COMPRA - Como tudo na vida, o equilíbrio na hora de comer também vale para o chocolate. E qualidade, diga-se de passagem. Um chocolate de qualidade, segundo Adriana Yamaguti, tem flavonoides - um antioxidante que faz um bem enorme ao coração, porque reduz o risco de doenças cardíacas -, vitaminas A, B, C e D, além de cálcio, potássio, magnésio e sódio. Possui também ácido oleico, que eleva o colesterol bom (HDL) e diminui o ruim (LDL), protegendo as artérias do coração.

Agora, quanto comer? "O chocolate tem mais ou menos sete calorias por grama. Quanto mais açúcar, mais leite, mais gordura, mas calórico é. Então, quanto menos açúcar melhor", diz Magnoni. Adriana dá uma notícia ruim àqueles que comem fácil uma caixa de bombons. "Não indico comer todos os dias. O ideal são 30 gramas (um bombom pequenininho) três vezes por semana, do amargo", diz. Ou seja, 30 míseras graminhas de cada vez.

Para aqueles que compram os do tipo diet (sem açúcar) achando que podem comer mais por isso, a nutricionista desconstrói o mito. "A produção do chocolate diet troca o açúcar pelo adoçante, que modifica a textura. Por isso, os fabricantes colocam mais gordura para obter uma textura melhor. Assim, o produto fica mais calórico." Por isso, chocolate diet é mais indicado para os diabéticos, que devem seguir rígida dieta de restrição de açúcar. Se este não for o seu caso, prefira o convencional.

Há também o grupo com intolerância à lactose (proteína do leite) e os celíacos, que têm alergia ao glúten, proteína encontrada nos cereais. Como se tratam de doenças graves, Adriana recomenda leitura redobrada nos rótulos, já que hoje existe toda sorte de chocolates com recheios variados no mercado.

Para os que gostam do chocolate branco, uma péssima notícia. Sim, ele é muito rico em sabor, mas vazio em nutrientes. "O chocolate branco é controverso, porque, em vez do cacau, que contém a maioria dos nutrientes, é usada a manteiga de cacau, o que o faz muito calórico", conta Adriana.

PÁSCOA - Não é por que você ficou sabendo de tudo isso que precisa fazer regime na Páscoa. "Na Páscoa, coma todos os ovos que tiver vontade. Não adianta ter sentimento de culpa no melhor da festa", brinca Daniel Magnoni. A restrição só vale para os exemplos já citados.

Se exagerou na dose, Adriana aconselha a tomar chás, sucos sem muita fibra e restrição de leite e derivados para não piorar ainda mais o quadro, especialmente se o mal estar for provocado por diarreia. Passada a Páscoa, o equilíbrio deve estar de volta ao cardápio, para que o bem-estar seja uma sensação contínua e não somente passageira.

Na Páscoa, também não faça a linha egoísta, comendo tudo sozinho. Assim como a felicidade, chocolate é um prazer que deve ser compartilhado, de preferência em família.

PARA SABER MAIS E SE DIVERTIR:

Site: www.nutricaosaudavel.com.br

Livro: "Terapia do Chocolate" (Ed. Arx), Cathy Lamb;

Filme: "Chocolate" (EUA), com Juliette Binoche e Johnny Depp. Binoche vive Vianne Rocher, uma jovem mãe solteira que, com sua filha de seis anos (Victorie Thivisol), resolve se mudar para uma cidade rural da França. Lá abrem uma loja de chocolates. A princípio, a população vê o local com maus olhos, mas à medida que provam as guloseimas de Vianne, os moradores ficam mais doces e receptivos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.