Chinês que comprou relíquias de Yves Saint Laurent diz não ter recursos

PEQUIM ¿ O colecionador de antiguidades chinês que adquiriu as duas relíquias de bronze reclamadas por Pequim no leilão da coleção de arte de Yves Saint Laurent e Pierre Bergé, celebrado semana passada em Paris, afirmou que não tem recursos para pagar pelas obras.

AFP |

O Fundo do Patrimônio Nacional da China, organismo responsável por recuperar relíquias chinesas no exterior, divulgou um comunicado assinado por Cai Mingchao, um dos conselheiros da entidade e diretor de uma casa de leilões em Xiamen (sudeste), no qual ele informa que é o comprador das duas estatuetas.

"Acredito que qualquer chinês teria se levantado neste momento. Tento fazer todo o possível para enfrentar minhas responsabilidades", afirma Cai. "Porém, devo destacar que o dinheiro não pode ser pago", acrescentou.

"Desde que aconteceu a venda surgiram muitas especulações para saber quem era o comprador. Anuncio que o comprador é um chinês que deve ser admirado", declarou Niu Xianfeng, diretor adjunto do fundo. "Queremos ressaltar novamente, como fez Cai Mingchao, que este dinheiro não pode ser pago".

No entanto, o comunicado não revela se Cai não pagará por não ter o dinheiro ou por uma questão de princípio.

Os dois bronzes chineses reclamados por Pequim foram vendidos por um total de 28 milhões de euros na quarta-feira passada durante os leilões da coleção Yves Saint Laurent-Pierre Bergé em Paris.

Tratam-se das cabeças de rato e coelho em bronze da coleção de arte de Yves Saint Laurent, símbolo de humilhação na China porque recordam um dos piores episódios da invasão do país por tropas da França e Grã-Bretanha, potências coloniais em 1860.

As peças em bronze procedem da fonte zodiacal do Palácio de Verão do imperador Quianlong (1735-1795), noroeste de Pequim, saqueado em 1860 por soldados franceses e britânicos.

O governo da China tentou impedir a venda das duas peças, mas a justiça francesa rejeitou o pedido apresentado por advogados chineses.

Em 2006, Cai comprou por 15 milhões de dólares uma estátua de Buda da dinastia Ming, durante um leilão celebrado em Hong Kong.

    Leia tudo sobre: leilõesyves saint laurent

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG