Chinaglia volta a criticar edição de MPs pelo governo

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), voltou a criticar a prática do governo de editar um número excessivo de medidas provisórias (MPs), as quais, uma vez vencido o prazo de apreciação, passam a trancar a pauta e têm que ser votadas antes de qualquer outra matéria. Chinaglia alertou para o fato de que as MPs, além de atrapalharem a Câmara e o Senado - que ficam impedidos de elaborar suas próprias pautas - prejudicam a votação de projetos de interesse do próprio governo.

Agência Estado |

O deputado deu como exemplo o caso da reforma tributária. Muitas vezes, quando um projeto de interesse do governo entra na pauta, sua votação é adiada pelo fato de haver uma ou mais medidas provisórias trancando a pauta. "O governo precisa estar cada vez mais ciente de que, se continuar editando medidas provisórias, vai comprometer a votação de projetos que considera importantes, como a reforma tributária", declarou o presidente da Câmara.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG