O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), avaliou a proposta ampla de reforma trabalhista elaborada pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, como um bom exercício. Chinaglia ressaltou que o projeto ainda é um esboço e está no plano da concepção, mas chamou atenção para o fato de que a proposta visa a redução da informalidade.

Chinaglia destacou que a proposta teve o "cuidado de assinalar que aquilo que é assegurado hoje, via desconto na folha para a Previdência, fosse mantido com outra parte orçamentária", o que seria decorrente de algum tipo de contribuição previdenciária.

O presidente da Câmara destacou as conseqüências negativas em outros países nos quais a contribuição saiu da folha de pagamento. "Em alguns deles, isso quebrou a Previdência."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.