Chinaglia quer que Mendes oriente aplicação de fidelidade na Câmara

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que vai se encontrar com o presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, para buscar explicações em como implementar a decisão sobre a fidelidade partidária ¿ de que o mandato é do partido e não do político ¿ na Câmara.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

"Vou procurar o Gilmar para entender [a decisão] melhor. A opinião dele será muito útil para guiar [a implementação] aqui", disse. 

O presidente ainda comentou que é necessário se ter cautela na aplicação da fidelidade partidária, uma vez que o acórdão do Supremo sequer foi publicado. Como tinha feito nesta manhã, Chinaglia também voltou a criticar a cobrança do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, que pediu agilidade na cassação do mandato de Walter Britto (PRB-PB), que deixou o DEM em setembro passado. 

"Há ministros que ficam seis meses sentados em cima dos autos e não delibera", disse. "São poucos que tem autoridade para criticar demora", completou.

Veja também:

Leia mais sobre: fidelidade partidária

    Leia tudo sobre: arlindo chinagliacâmarademfidelidade partidáriastftse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG