Chinaglia diz que responsáveis devem ser punidos se grampos forem ilegais

O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou, neste domingo, que a denúncia de grampos ilegais feitos contra o Supremo Tribunal Federal (STF), o Senado e ministros da República é inacreditável, e que os responsáveis devem ser punidos.

Ana Freitas, repórter do Último Segundo |


"Se não havia autorização, se é um grampo ilegal, é extremamente grave. É grave fazer contra qualquer cidadão, e fazer contra autoridades é inacreditável. Se alguém agiu errado, vai ter que pagar por isso", disse Chinaglia.

O deputado fez as declarações à imprensa após participar, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de comício do candidato petista à prefeitura de Santo André, Vanderlei Siraque.

Questionado se a Câmara dos Deputados tomaria alguma atitude em relação ao caso, Chinaglia afirmou que, primeiro, é preciso aguardar o avanço das investigações. "Eu não acredito que seja bom para o País que qualquer atividade saia dos trâmites legais. Portanto, acho que este episódio tem de ser esclarecido a fundo", declarou.

Chinaglia afirmou, ainda, que entrou em contato com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, para manifestar solidariedade pessoal e institucional. O presidente da Câmara não descartou a convocação do presidente da Abin, Paulo Lacerda, para depoimento na Câmara, caso a investigação torne tal medida necessária.

Leia mais sobre: grampos

    Leia tudo sobre: grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG