aumento da verba de gabinete dos deputados (auxílio financeiro de R$ 60 mil para gastos como combustíveis e assessorias) como um ato de justiça. Para Chinaglia, o reajuste de 19%representará o aumento salarial para servidores não-concursados que estão sem aumento há três anos, e atacou os críticos." / ato de justiça e ataca críticos - Brasil - iG" / aumento da verba de gabinete dos deputados (auxílio financeiro de R$ 60 mil para gastos como combustíveis e assessorias) como um ato de justiça. Para Chinaglia, o reajuste de 19%representará o aumento salarial para servidores não-concursados que estão sem aumento há três anos, e atacou os críticos." /

Chinaglia diz que aumento de verba de gabinete foi ato de justiça e ataca críticos

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), defendeu nesta quinta-feira o http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/04/16/deputados_aumentam_para_r_60_mil_verba_de_gabinete_1274883.htmlaumento da verba de gabinete dos deputados (auxílio financeiro de R$ 60 mil para gastos como combustíveis e assessorias) como um ato de justiça. Para Chinaglia, o reajuste de 19%representará o aumento salarial para servidores não-concursados que estão sem aumento há três anos, e atacou os críticos.

Rodrigo Ledo ¿ Último Segundo/Santafé Idéias |

A verba de gabinete é um subsídio mensal para deputados federais cobrirem despesas com vários itens no exercício de seus mandatos, como pagamento de assessores não-concursados (lotados em cargos de confiança). Nesta quarta-feira, o benefício passou de R$ 50,8 mil para R$ 60 mil.  

Alguns que criticam deveriam dizer que são contra a reposição salarial para trabalhadores que exercem funções nos gabinetes dos deputados, afirmou o presidente da Câmara dos Deputados, ressaltando que nos últimos anos todos os servidores concursados do Legislativo e do Judiciário tiveram aumentos, diferentemente dos assessores em cargos de confiança.

Acho que se está fazendo um ato de justiça. Se alguém quer defender a demissão em massa de servidores que o faça às claras. Aqueles que buscam platéia fácil colocam o Congresso no centro das críticas, e aquilo que é uma reposição salarial vira um fato fora da normalidade administrativa", reclamou Arlindo Chinaglia.

Sobre a crítica específica de que a Câmara brasileira é uma das mais dispendiosas do mundo, o petista considerou uma comparação absurda. Esses críticos não dizem que outras câmaras não pagam aposentadorias como essa daqui paga. Acabam comparando melancia com abacaxi, ironizou.

Leia mais sobre: verba de gabinete

    Leia tudo sobre: verba indenizatória

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG