O presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), enviou telegrama para a casa dos deputados para avisá-los que haverá sessões deliberativas (com votação) na Casa entre segunda e quinta-feira. No telegrama de convocação, Chinaglia ameaça descontar os salários dos parlamentares faltosos.

Ao contrário da Câmara, o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), decretou recesso branco durante toda a semana. Motivo: Garibaldi liberou os senadores para participarem das festas juninas no Nordeste.

Os deputados também reivindicaram uma pausa nas votações da Câmara esta semana. Mas o presidente Chinaglia foi irredutível e avisou que não irá seguir o exemplo do Senado. Mesmo assim, a expectativa é que cerca de 150 deputados, que são de Estados nordestinos, acabem faltando às sessões programadas para esta semana na Câmara.

Os deputados também alegam que precisam participar das festas juninas, principalmente em ano de eleições municipais. São os prefeitos eleitos que ajudam os deputados a se reelegerem daqui a dois anos.

Esta semana, seis medidas provisórias passarão a trancar a pauta de votações da Câmara. Elas precisam ser analisadas pelos deputados para que a votação do projeto de lei que cria a Contribuição Social para a Saúde (CSS) possa ser concluída. Mas, além do baixo quorum, o governo também enfrentará dificuldades em acabar de votar as medidas provisórias porque os partidos de oposição prometem obstruir as sessões deliberativas da Câmara.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.