O Ministério da Justiça negou neste domingo que tenha recebido qualquer confirmação, por parte de autoridades chinesas, sobre a existência de uma conta corrente no exterior, movimentada pessoalmente pelo empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

A informação foi veiculada na edição deste domingo do jornal "Folha de S. Paulo". Segundo a reportagem, Fernando Sarney teria usado essa conta para realizar uma transferência no valor de R$ 1 milhão para uma agência do banco HSBC situada em Qingdao, na China.

"O Ministério da Justiça esclarece, por meio de seu secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Junior, que o Departamento de Recuperação de Ativos, da secretaria, não recebeu qualquer comunicado do governo chinês a esse respeito", afirma a nota. A reportagem veiculada pela Folha aponta que a conta em questão estaria situada em um paraíso fiscal, em nome de uma offshore com sede no Caribe.

O Ministério Público Federal rastreou contas secretas supostamente mantidas por Fernando Sarney no exterior. Os investigadores pediram auxílio às autoridades chinesas para levantar todas as informações sobre a remessa de US$ 1 milhão feita pelo empresário para a China.

Na primeira fase da investigação, a PF e o Ministério Público reuniram documentos, e-mails e conversas telefônicas que tratam das operações financeiras no exterior.

As descobertas relacionadas à remessa fazem parte de uma das cinco frentes de investigação abertas pela Operação Boi Barrica da PF, rebatizada de Operação Faktor. As informações são do jornal "O Estado de S.Paulo".

Leia mais sobre: Sarney

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.