O vice-ministro de Relações Exteriores da China, He Yafei, afirmou nesta quarta-feira ter dito ao chanceler australiano Stephen Smith, num encontro recente, que o governo chinês tem evidências suficientes de que empregados da mineradora Rio Tinto conseguiram acesso a segredos de estado utilizando meios ilegais. O caso entrou no processo legal, disse o vice-ministro, numa entrevista coletiva.

"Eu disse a ele que pretendemos chegar a um resultado o mais breve possível, mas é evidente que precisamos primeiro concluir plenamente o processo legal."

Yafei reuniu-se com Smith na semana passada às margens de um encontro oficial no Egito e disse ao chanceler australiano que o caso da Rio Tinto não deve prejudicar as relações entre a China e a Austrália. "Acredito que a Austrália também considera isso como um caso isolado e lidará com ele de forma apropriada", disse o vice-ministro chinês.

A Austrália tem aproveitado cada oportunidade nos encontros com autoridades chineses para trazer à tona a prisão dos quatro empregados da Rio Tinto na China, incluindo o australiano Stern Hu. Os quatro estão detidos desde 5 de julho sob a acusação de terem roubado segredos de estado.

O relato de Yafei sobre a reunião com Smith concorda com a descrição feita pelo chanceler australiano à mídia de seu país no final de semana. Smith afirmou que a investigação da China se concentra no papel de Hu nas negociações do preço do minério de ferro em 2009, incluindo as possíveis denúncias ou indícios de suborno ou recebimento ilegal de informações do lado chinês. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.