Chico Mendes é anistiado e família terá indenização

Passados 20 anos de seu assassinato, o líder ambientalista Chico Mendes - que ficou mundialmente conhecido em 1986, com o prêmio Global 500 da Organização das Nações Unidas (ONU) - é o mais novo anistiado político brasileiro. O pedido em nome do líder dos seringueiros do Acre, considerado um dos maiores defensores da floresta amazônica, foi aprovado anteontem, por unanimidade, pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.

Agência Estado |

A viúva do ambientalista, Ilzamar Mendes, e os filhos Sandino e Elenira - homenagem a uma guerrilheira do Araguaia - receberão indenização retroativa de R$ 337 mil e R$ 3 mil mensais. O líder seringueiro foi morto a tiros em dezembro de 1988, em sua casa, em Xapuri (AC), a 180 quilômetros de Rio Branco. Os fazendeiros Darly Alves da Silva e seu filho Darcy foram apontados como autores do assassinato e condenados a 19 anos de prisão, mas estão livres. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG